sábado, 23 de janeiro de 2010

Pamplona-Alto del Perdón

20/04/09

Na porta do albergue...bem cedo...oração rotineira...olhei para o céu e vi que estava estranho...chuva ou frio...disse alguém ao meu lado. 


Saindo de Pamplona passei por dentro do campus lindo e bem cuidado da Universidade de Navarra. 


Hoje o desafio seria grande...23,5 quilômetros de subidas e descidas.
Sentia-me muito feliz...estava fisicamente condicionada...e preparada emocionalmente.


Acostumava-me aos " saludos de buen camino"...descobriria mais tarde que essas duas palavrinhas eram quase um mantra...repetidas várias vezes...fortaleciam quem  pensava em desistir.


O dia amanhecia e o perfil do terreno prometia grandes emoções...e alguns escorregões...


A chuva começou a cair...abri a mochila...vesti a capa...e iniciei a subida ao Alto del Perdón...sugestivo nome...


Já havia tirado as botas  para arejar os dedos...trocar as meias...prevenção contra as bolhas...pés inchados.


A subida com chuva era difícil...fazia frio...mesmo assim ficava suando...
Olhei para trás e vi Pamplona lá longe...
Também era complicado para os ciclistas.


 Já havia passado por "pueblos" como Cizur Menor com casinhas de grandes portas modernas.


E por outros bem mais antigos...aqui o número 13 significou sorte...ganhei um copo de café quentinho de uma moradora.
"Buen camino peregrina!".


Mais adiante vi esse casal de gigantes dinamarqueses que haviam passado por mim...eles eram muito altos...estavam sentados...mortos de fome e sede.


Não sabiam que na Espanha se faz a "siesta" e queriam tomar café e comer...estava tudo fechado...

Olhei meu lanche...tinha pouco...morrendo de medo que me faltasse lá na frente...ofereci-lhes a metade.

Eles  se olharam e aceitaram...dividimos a água.

Exercício de partilha..."dividir o pão" mesmo sabendo que podia faltar depois...mas não faltou.


O homem ficou tão agradecido que queria dançar "salsa" comigo...
"Só se for samba que é o que dançamos no Brasil"...respondi rindo.

Nos despedimos...e só fui vê-los novamente lá em Santiago muitos dias depois...


Havia muitas pedras e era melhor nem olhar para cima...ou abaixo.


O Perdón não chegava nunca..."Leila...o caminho se faz caminhando...chegar é consequência"...já disse alguém um dia, pensei.
Ventava muito lá no alto...e eu estava exausta...num dos locais mais emblemáticos do caminho...no Monumento aos Peregrinos...todo construído em ferro.


Alguém tocava gaita..."onde se cruzam os caminhos dos ventos e das estrelas".


O Caminho de Santiago é marcado no chão...pelos passos dos peregrinos e no céu...pela Via Láctea.

Os esotéricos o consideram uma das mais energizadas rotas do planeta...verdade ou não nos sentíamos todos muito em paz...o bem estava ali...

E os "molinos de viento" capturavam energia eólica...por muito tempo os veríamos em nossa caminhada...lembrei de Dom Quixote e seu escudeiro Sancho Pança...teriam eles passado por ali?

2 Comentários:

Anonymous Anônimo disse...

lindas fotos Leila,irei dia 24,farei o caminho Frances..abraços fraternos
Carmen

17 de abril de 2013 19:55  
Blogger Leila Liz disse...

BUEN CAMINO Carmen!!
Obrigada pela visita.
Abraço peregrino.

17 de abril de 2013 21:42  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial