segunda-feira, 15 de março de 2010

Agés-Burgos II

29/04/09  ainda

Burgos é uma cidade medieval...a segunda maior do caminho...culturalmente um marco da província de Castilla y Leon.


Plena de monumentos deve sua importância no Caminho à corte  castelhana e aos seus reis que a incluíram na rota de peregrinação.

Não me lembro dos nomes de todos esses marcos...mostrarei apenas alguns.


O refúgio municipal Casa Del Cubo era bárbaro!

Moderníssimo...tinha elevador  e a iluminação era toda feita com sistema fotocélula...você andava e ia tudo acendendo...corredores e banheiros...não precisava de lanterna à noite...quatro pessoas por compartimento.

Ponto positivo para a decoração, atendimento, acomodações e limpeza. 

Na chegada o painel nos dava boas vindas...vale a pena ler o texto!


Aqui eu não era turista...mas uma andarilha meditante de "papete" e meias.

Éramos a atração turística nas cidades grandes do Caminho.

Todos os cidadãos  andavam bem trajados e nós...detonados...uniformizados...mancos...FELIZES.


No alto um ninho de cegonhas visto em vários trechos do passeio.


O ponto alto de Burgos era sem dúvida a sua Catedral de Santa Maria iniciada em 1221...gótica e delicada...parecia uma jóia.


Embora cansada eu queria ver tudo...óbvio que não consegui...a Espanha vai me ver novamente...a Plaza Mayor era aconchegante.


Era tão agradável ali que resolvemos sentar ao lado desse peregrino muito antigo...aqueceríamos o corpo com o sol de final de tarde.


Subimos ao mirante do Castelo de Burgos...sempre no alto por razões de segurança.


O castelo imponentemente fechado e silencioso estava sendo restaurado. 

Napoleão destruiu quase tudo quando invadiu Burgos...rindo perguntei para Christianne  se ela era descedente dele..."non...non".


De lá a catedral parecia e era enorme...a terceira maior da Espanha...via neve nas montanhas lá longe.


Ela abrigava muitas belezas...era muito fria...seus largos corredores gelavam o corpo.


Havia esse altar trabalhado em ouro...lembrei-me das igrejas de Minas Gerais.


Tinha que ter sido mesmo declarada Patrimônio Cultural da Humanidade.

Era delicada e tinha ao mesmo tempo traços fortes e marcantes.


Os muitos portões de ferro tinham um desenho antigo e ao mesmo tempo contemporâneo.

 

Procurava lá dentro o mausoléu de Rodrigo de Vivar e dona Jimeña.


Apelidado de El Cid do mourisco "sidi" que quer dizer senhor...no século XI o lendário e nobre guerreiro espanhol participou das batalhas entre as províncias cristãs e mouras e está enterrado aqui.



Ainda fui dar uma passada rápida pelo museu e apreciar um pouco da arte moura.



Hora da fome...pedi sugestões na rua e nos indicaram esse restaurante...imperdível o Morito...o relógio estava parado... queria uma pausa...como todos nós.


Era o último  dia da Christianne no Caminho...voltaria no próximo ano para reiniciar suas etapas.

Lilianne da Normandia iria até Santiago.

Brindamos a isso e a nós mesmas...e comemos MUITO...de tudo!

2 Comentários:

Anonymous Teruko Kanto disse...

Leila, que lugar fantástico é Burgos. Adorei a cadetral. Numa das minhas folgas, vou visitar este lugar. Tenho amigos que moram perto ...Acho que vai valer a pena!Você me incentivou ir até lá!! As fotos estão excelentes e a narrativa, mais ainda...
Obrigada por passar tudo isso!
Beijos
Tê.

21 de março de 2010 14:45  
Blogger Leila Liz disse...

Olá Teruko vá para Burgos sim...com bastante tempo para se perder por lá e encontrar cantinhos adoráveis!
Fico feliz que o blog esteja encantando a ponto de incentivá-la a ir...é essa a ideia mesmo!
Beijo!

21 de março de 2010 15:27  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial