segunda-feira, 3 de maio de 2010

Ponferrada-Villafranca del Bierzo

12/05/09

Coube a mim ficar na parte de cima do beliche...preferia dormir embaixo...não tinha lanterna...a escuridão dificultava a referência da distância...à noite só se via um sinal sobre a porta..."Salida"...num luminoso vemelho. 


Éramos seis mulheres...queria sair cedo...havia deixado um banco para descer...a tunisiana que procurava um marido no caminho foi a responsável.
Irresponsável não quis deixar suas coisas no chão...tirou o banco do lugar...caí do beliche...ela ficou brava com o barulho...não se estabeleceu uma ponte de harmonia.


Las Médulas foram minas  exploradas pelos romanos...800 toneladas de ouro foram extraídas das montanhas vermelhas espanholas...era o primeiro século...ano 27 AC. 


Essa linda casa é o quartel general da fundação que cuida desse patrimônio da humanidade...vou ter que voltar...conhecer um pouco dessa história de ouro romana..."in loco".


Passei por muitos campos de papoulas vermelhas...tão vivas...elas pareciam querer conversar...a sensibilidade estava aguçadíssima.


Mesmo sabendo que não deveria medir a distância...ou o tempo...regras para um bom peregrino...impossível não calcular quanto já havia andado.


Aprendia a cada dia que passava que a vida era para ser celebrada com alegria...sem culpa...sem medo.
Ela dava...também tirava...num processo educativo para nós peregrinos...continuar seria sempre preciso.


Resolvi parar nesse bosque...duas alemãs descansavam e comiam...a sueca Karin estava deitada com dores nos pés...pedi um sorriso para o Brasil.


Nesse momento pararam dois brasileiros...perguntaram de onde eu era...fiz o mesmo...o Jota e o Arruda...bela dupla...grandes amigos faziam o caminho juntos...seríamos companheiros mais à frente. 


Em Cacabelos um "lagar de vino"...artefato antigo de fazer vinho...século XVIII.  


Quantas bocas e almas essa máquina teria adoçado com o sumo fermentado das  uvas  desse  caminho  mítico e místico?


Olhei para trás...Cacabelos e seus "viñedos" me disseram "adiós".


Tradição...os donos de plantações não colhem as frutas que avançam da cerca para fora...deixam-nas lá...alimento para os peregrinos...as cerejas eram MARAVILHOSAS!  


O castelo-fortaleza de Villafranca del Bierzo era do século XVI...passei pelo famoso refúgio Ave Fenix...entrei...conheci o gaúcho  Rômulo...falo dele depois...preferi seguir...estava bem.



Passei pela Colegiata...foi monastério da ordem francesa de Clunny...mistura do gótico...barroco...renascentista...construída em 1070...lindo...de traçado delicado.


Percebi que um peregrino me seguia...me olhava...estava desesperado...mostrou-me os braços cheios de picadas de pulgas...hoje sei que eram de percevejos.


Era canadense...estava sem sorte nas suas hospedagens...não havia levado "spray"  para os insetos...pulgas...carrapatos...percevejos.


Aproximou-se quando viu que eu me defendia em português...espanhol...inglês. 

Pediu para me acompanhar até o refúgio...queria ficar bem instalado...não conseguia se comunicar.

Havia um ótimo refúgio particular...no final da vila...limpo e acolhedor...com quartos coletivos e privados...Albergue de La Piedra.


O psicólogo canadense ficou radiante quando viu as instalações...disse-me que eu havia sido seu anjo do caminho.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial