sexta-feira, 9 de abril de 2010

Villarente del Puente-Virgen del Camino

06/05/09

O dono do refúgio nos esperava com um excelente "desayuno"...pão quentinho...leite e café à vontade...sem economia.


Peregrinos passavam por mim calados...alguns assobiavam...contabilizavam-se "pecados e virtudes".


Fiquei um tempo esperando a cegonha de Alcahueja esticar as longas pernas e levantar-se...como era preguiçosa!


Estava sentindo falta de uma subida...acelerava os batimentos cardíacos...o engenheiro tcheco Peter estava comigo...mancava um pouco.


Claro que havia uma descida...os joelhos doeriam...a senhorinha carregava nos braços ervas aromáticas...alguém tomaria um perfumado chá caseiro...elas cheiravam bem.


Um "cementerio"  nos lembrava da finitude das coisas terrenas...apesar do homem insistir em dar valor a elas os ciprestes nos enviavam essa mensagem com tranquilidade e sabedoria.


Passei pela fábrica de "carrocerias leonesas MAISO"...Mercedes Benz em Valdefuente.


O acostamento era péssimo...não havia outra forma...tive que encarar.


Meu coração se alegrou quando avistei León...cada vez mais perto.


O pior ainda estaria por vir...uma descida muito complicada...o sinal amarelo à direita mostrava que era por ali mesmo.


Era muito difícil...escorreguei várias vezes...quase caí outras tantas...não dava para fazer nada a não ser rir de mim mesma.


Olhei para trás...o pior havia ficado lá...não deslizei mais.


León aguardava florida e colorida...nos dava boas vindas. 


Outra cidade grande do Caminho...mistura do antigo com o moderno...lindos chafarizes e muitos prédios na entrada.


Muralhas romanas...talvez construídas pela Leggio VII...lendária legião de romanos visitantes da Hispania anos antes de Cristo. 


Ruelas seculares espreitavam nossos passos e pensamentos.


Mais um solo emblemático  do caminho receberia nossas pisadas.


Talvez o arquiteto catalão Gaudí precisasse de companhia...sentei-me ao seu lado...enquanto desenhava ele contou-me alguns segredos. 


Um deles que a Casa de Los Botines logo à nossa frente era obra dele...arquitetura moderna.

Pessoas caminhavam...distraíam-se nos charmosos cafés ao ar livre.


Construída sobre antiquíssimas termas romanas a catedral  do século XIII de Santa Maria de La Regla é uma das mais belas da Espanha...de estilo gótico muito delicado.


Mil e oitocentos  metros quadrados de vitrais multicoloridos adornavam suas janelas...raios de sol penetravam por eles...pena minha câmera não conseguir capturar todo o seu esplendor.


A Basilica de San Isidoro do seculo X é conhecida como a Capela Sistina do românico.


Guarda vários "Codex"...manuscritos gravados em madeira da época em que os cristãos eram perseguidos pelos romanos.

O "Codex Calixtinus"..relata a história de Tiago e de todo o Caminho de Santiago...talvez seja o guia de viagem mais antigo do mundo...fica na Catedral de Santiago de Compostela.


Despedi-me de León...não quis ficar ali...algo muito forte me dizia para seguir...talvez não fosse nada mas decidi seguir minha intuição...aprendi a agir assim na vida...raras vezes me enganei. 


Na saída o Museu de León...não senti vontade de entrar...segui em frente.

 

Encantei-me com aquele congestionamento de senhores no inverno de suas vidas...falavam "mucho y muy alto"...pareciam felizes.  


Em Virgen del Camino fiquei no refúgio municipal...um cinco estrelas do caminho...bom humor dos administradores voluntários que instalaram o cartaz.


A biblioteca tinha bons exemplares e a cozinha era bem equipada...tinha geladeiras separadas para peregrinos e voluntários.


Os banheiros eram separados...não precisávamos sair vestidas dos chuveiros...havia ganchos nas paredes para pendurarmos nossas coisas...e AQUECEDOR!

ESPELHO!...maravilha olhar os estragos de corpo inteiro...o tanque com água "caliente" era dentro...não saíamos ao relento frio lavar as roupas...ponto positivo.

Ainda assim...passaporte, dinheiro e cartão de crédito iam para o banho conosco...dentro de sacos plásticos hermeticamente fechados.


Reencontrei as irlandesas e os tchecos...quando terminei de tratar suas bolhas e distribuir medicamentos  fomos todos jantar juntos...num bar...comida boa...excelente vinho...ótima companhia.

Um jogo de futebol na televisão deixava todos enlouquecidos...fumavam MUITO em ambientes fechados...ponto negativo.


De volta para o refúgio a lua nos mostrava que era hora de dormir...encarar um quarto com 36 pessoas.

O caminho para o banheiro na madrugada estava escuro...trombamos eu e uma alemã...estávamos ambas sonolentas e distraídas...um susto enorme!


2 Comentários:

Anonymous Anônimo disse...

Muito bacana, outra vez, parabens Leila.A Catedral de Leon, realmente eh fantastica com seus enormes vitrais. Ultreya.

8 de maio de 2013 11:01  
Blogger Leila Liz disse...

Olá Anônimo...obrigada.
A Catedral encanta mesmo...a luz atravessando os vitrais alegra qualquer alma.
Ultreya!
Abraço.

8 de maio de 2013 11:43  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial